domingo, 29 de junho de 2014

PROBIÓTICOS baixam o COLESTEROL?

Olá caros leitores,


Hoje venho falar um pouco à respeito de algo que vem alcançando muitas pessoas e aumentando as estatísticas de doenças cardiovasculares. 


O tal do colesterol alto, ou no científico hipercolesterolemia, ou dislipidemia!

Pois é...

Atualmente encontramos muitos pacientes sendo tratados com medicamentos para reduzir o colesterol, como as estatinas (LIPTOR, SINVASTATINA, ATROVASTATINA e outros), mas os mesmos em sua maioria nem tenta reajustar a sua alimentação, ou ao menos tentou tratar essa hipercolesterolemia com certas modificações alimentares. E ainda pior, muitas vezes observamos pacientes que NÃO apresentam dislipidemia e já são prescritos aos mesmos medicamentos para fazer "prevenção" de colesterol alto!!! Isso mesmo, fazer prevenção!


Bem, já que falam de "PREVENÇÃO" com estatinas, por que os estudos que existem NÃO apontam a mesma coisa?


Vejam esse estudo de 2009 americano, que saiu na Folha de São Paulo, abaixo que mostra que pacientes hospitalizados após sofrer infarto possuíam colesterol NORMAL! 




Ou esse estudo mais recente de 2013 que mostra o aumento do câncer de mama em mulheres que usavam estatinas...




Mas minha intenção nesse texto de hoje não é questionar a farmacodinâmica das estatinas, mas de levantar outras propostas de tratamento para redução de colesterol, ou até fazer prevenção do mesmo sem utilizar MEDICAMENTOS! Isso mesmo, REDUZIR COLESTEROL SEM uso de estatinas, mas USANDO PROBIÓTICOS! Isso mesmo!!! PROBIÓTICOS!!!


Mesmo com o tal "avanço" da indústria farmacêutica em criar as estatinas para "PREVENIR" infartos no futuro, a própria OMS prevê que até 2030 as doenças cardiovasculares CONTINUARÃO a ser uma das principais causas de MORTE!!! Isso mesmo, TUDO O QUE A INDÚSTRIA FARMACÊUTICA quer!!!


E por que ninguém divulga muito a ação de alimentos que tem a ação de reduzir o colesterol, como os PROBIÓTICOS administrados via oral?


As bactérias láticas, ou lactobacilos, conseguem REDUZIR o colesterol através das atividades das hidrolases de sais biliares. Essas mesmas bactérias tem a vantagem de sobreviver e colonizar o intestino delgado, onde o ciclo entero-hepático ocorre, assim, o mecanismo proposto, baseia-se na capacidade desses microrganismos em desconjugar os ácidos biliares e aumentando a sua excreção nas fezes. E o que isso tem haver com o colesterol? O colesterol como é um precursor dos ácidos biliares, e com a utilização dos lactobacilos que reduzem os sais biliares, os mesmos devem ser repostos através de uma nova formação. Dessa forma, o colesterol será utilizado pelo organismo para formar mais ácidos biliares, assim reduzindo o colesterol sérico!

(Figura abaixo descreve de forma ilustrativa como ocorre a formação de colesterol em sais biliares)



Esses probióticos possuem como um dos principais objetivos o conceito de alimentos funcionais devido aos seus benefícios à saúde como: ANTI-COLESTEROL, ANTI-DIABÉTICO, ANTIPATOGÉNICO, propriedades ANTICANCERÍGENAS e estimulação do SISTEMA IMUNOLÓGICO. 

E de qual LACTOBACILOS estamos falando com tais propriedades?
É o Lactobacillus plantarum que após serem administrados via oral demonstraram uma boa sobrevivência ao passar pelo trato gastrointestinal e conseguir se estabelecer no intestino, segundo Kumar.
Mas será que é somente esse lactobacilos que consegue reduzir o colesterol?
A RESPOSTA É NÃO. Vejamos a baixo mais alguns microrganismos que também possuem a mesma função e alguns estudos.

Esses são alguns dos probióticos que possuem a ação de reduzirem o colesterol:



E logo abaixo alguns estudos com os microrganismos estudados, em que sistema experimental foi aplicado e qual o principal resultado:



Mas será que somente existe esse caminho, esse único mecanismo de ação no qual os lactobacilos conseguem reduzir o colesterol?
Bem, sabe-se que na África há uma tribo de Maasai que consome uma grande quantidade de carnes e possui um baixíssimo índice de doenças cardíacas e de colesterol alto e quando foram averiguar descobriram que eles consumiam em torno de 4 a 5 litros de leite integral fermentado por dia! E a partir desse fato o pesquisador Mann motivou-se a pesquisar possibilidades de intervenção do leite fermentado na redução do colesterol, isso em 1974.

Em 1977 outro estudo interessante também conduzido por Mann, que propôs um mecanismo de ação pelo qual como uma grande quantidade de iogurte conseguiria reduzir o colesterol, tal pesquisa clínica foi realizada com 26 voluntários e sugeriu que o acetato impediria a produção de colesterol.

Já em 1985, Gilliland, demonstrou que os Lactobacillus acidophilus conseguiam se ligar ao colesterol no lúmen intestinal ("parede intestinal") e assim diminuindo sua absorção. E em 2000, Lin e Chen corroboraram com o estudo de Gilliland. E um proposta de tratamento para redução de colesterol foi proposta por Lin e seus colaboradores quando utilizaram o Lactobacillus acidophilus e o Lactobacillus bulgaricus por 16 semanas, todos os dias e conseguiram promover uma redução no colesterol de voluntários.

Um outro probiótico que é Lactobacillus reuteri, que algumas empresas de nutrição já a incluem em seus suplementos, também tem a proposta de não só reduzir o colesterol total em quase 40%, mas também de reduzir os triglicerídeos em quase 38% e ainda aumentar a relação HDL/LDL (essa relação mais elevada beneficia a prevenção de doenças cardiovasculares) em quase 20%, resultados esses encontrado pelos estudos de Grunewald e o de Jones e colaboradores.

Outros tipos de probióticos estudados que ajudam a reduzir tanto os triglicerídios, LDL e colesterol total são as do grupo Bifidobacterium lactis ou Bifidobacterium longum encontrado em alguns alimentos, principalmente iogurtes e leites fermentados.  

Durante a leitura desse artigo podemos observar 2 mecanismos propostos de como os probióticos conseguem reduzir o colesterol, através da eliminação de sais biliares e através a inibição da absorção de colesterol. Mas ainda há outro mecanismo bem interessante que não fica com a atuação restrita ao intestino, esse mecanismo vai mais além... Chega até o SISTEMA HEPÁTICO! Isso mesmo, você consumir probióticos que terão ação no seu fígado, fazendo que o mesmo reduza a produção de colesterol... Vamos ver como isso ocorre...

Em um estudo bastante interessante publicado em uma excelente revista de nutrição em 2000 (American Journal of Clinical Nutrition) fala bem melhor desse mecanismos de ação...
Eles comentam que os carboidratos que consumimos, mas que NÃO são digeríveis por nós, são fermentados pelos probióticos que consumimos, isso mesmo!!! E os mesmos microrganismos transformam esses carboidratos em ácidos graxos de cadeia curta (AGCC), os famosos acetato, propionato e butirato que possuem a ação de promover o bloqueio da síntese de colesterol hepático (pelo fígado), de redirecionar o colesterol já existente no plasma para que o fígado possa reaproveitar o mesmo e não produzir mais ainda mais colesterol e de reduzir a atividade da enzima HMG-CoA que é um das envolvidas na produção endógena de colesterol.



CONCLUSÃO que podemos retirar de todos esses estudo é que devemos, conseguimos e podemos fazer PREVENÇÃO e TRATAR vários quadros de DISLIPIDEMIA sem ter que inicialmente utilizar medicamentos como o tratamento de 1a linha. Não sou contra a utilização de fármacos, até porque sou farmacologista, mas sou a favor também de uma melhor análise do paciente para que NÃO se faça prescrições indiscriminadas de medicamentos até com a desculpa de "prevenir" um possível quadro de colesterol alto que ainda nem ocorreu. E se tivermos que entrar no mérito se realmente esse "tão malvado" colesterol alto vai causar todos esses ataque cardíacos, muitas discussões ainda virão e estudos também, pois a ciência do corpo humano NÃO PÁRA! A área de saúde está em constante evolução e o profissional que NÃO se atualizar e ficar com conceitos retrógrados seus pacientes, que confiam a vida em suas condutas, terão sérios problemas.

Melhorem sua alimentação, previnam doenças... Procure o seu nutricionista para melhor adequar a sua prevenção alimentar e a sua utilização, se necessário, de probióticos!


Valden Capistrano
Nutricionista

Instagram: @valdencapistrano
Facebook: www.facebook.com/pages/VC-Consultoria-em-Nutrição-Esportiva/308779592522987


REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

Kumar R, Grover S, Batish VK. Hypocholesterolaemic effect of dietary inclusion of two putative probiotic bile salt hydrolase-producing Lactobacillus plantarum strains in Sprague-Dawley rats. British Journal of Nutrition.2010:1–12.

Mann GV, Spoerry A. Studies of a surfactant and cholesteremia in the Maasai. American Journal of Clinical Nutrition1974;27(5):464–469.

Mann GV. A factor in yoghurt which lowers cholesterolemia in man.Arthrosclerosis1977;26:335–340.

Gilliland SE, Nelson CR, Maxwell C. Assimilation of cholesterol byLactobacillus acidophilusApplied and Environmental Microbiology.1985;49(2):377–381.

Lin MY, Chen TW. Reduction of Cholesterol by Lactobacillus acidophilus in Culture Broth. Journal of Food and Drug Analysis.2000;8(2):97–102.

Lin SY, Ayres JW, Winkler W, Sandine WE. Lactobacillus effects on cholesterol: in vitro and in vivo results. Journal of Dairy Science.1989;72(11):2885–2899.

Grunewald KK. Serum cholesterol levels in rats fed skim milk fermented by Lactobacillus acidophilus. Journal of Food Science1982;47:2078–2079.

Jones ML, Martoni CJ, Parent M, Prakash S. Cholesterol-lowering efficacy of a microencapsulated bile salt hydrolase-active Lactobacillus reuteri NCIMB 30242 yoghurt formulation in hypercholesterolaemic adults.British Journal of Nutrition2011;9:1–9.

Taranto MP, Medici M, Perdigon G, Ruiz Holgado AP, Valdez GF. Evidence for hypocholesterolemic effect of Lactobacillus reuteri in hypercholesterolemic mice. Journal of Dairy Science1998;81(9):2336–2340.

Xiao JZ, Kondo S, Takahashi N, et al. Effects of milk products fermented by Bifidobacterium longum on blood lipids in rats and healthy adult male volunteers. Journal of Dairy Science2003;86(7):2452–2461.

St-Onge MP, Farnworth ER, Jones PJH. Consumption of fermented and nonfermented dairy products: Effects on cholesterol concentrations and metabolism. American Journal of Clinical Nutrition2000;71(3):674–681.

Noh DO, Gilliland SE. Influence of bile on cellular integrity and beta-galactosidase activity of Lactobacillus acidophilusJournal of Dairy Science1993;76(5):1253–1259. 

sábado, 17 de maio de 2014

TRANSGÊNICOS & EVIDÊNCIAS CIENTÍFICAS: E a segurança da sua saúde!

Iniciou sem querer impressionar muito aos leitores como essas fotos...






Estão impressionados? Já começaram a se perguntar como isso aconteceu?
E se eu disser que foi apenas alimentando essas cobaias com alimentos geneticamente modificado, como o milho... Isso mesmo!!!
Então hoje quero expor um pouco dos vários estudos que temos...

Vamos ficar atentos aos FATOS & ESTUDOS...
                                                     
            Em 2012 um revista científica (Food and Chemical Toxicology) publicou um estudo no qual gerou muita polêmica e até hoje gera muitas discussões que já haviam sendo discutidas, mas sem tanta ênfase por falta de mais materiais palpáveis. Mas em 2012 o pesquisador Gilles-Eric Séralini da Universidade de Caen na França, deu o que tantos queriam... Um material científico palpável...

Cujo o título do artigo é: Toxicidade a longo prazo de um milho geneticamente modificado tolerante ao herbicida Roundup.






E, em síntese, observemos o que esse artigo fala:
            Foi analisado os impactos do consumo de milho geneticamente modificado tolerante ao herbicida Roundup na saúde, cujo o tempo de administração desse milho modificado em ratos foram de dois anos nesse artigo. 
            E algumas peculiaridades foram encontradas como nas fêmeas, que todos os grupos tratados com o milho geneticamente modificado morreu 2 a 3 vezes mais do que os controles (que não consumiram esse molho modificado). Além da grande mortalidade, as fêmeas desenvolveram grandes tumores mamário!
            De uma forma geral os ratos apresentaram a hipófise como o segundo órgão mais afetado, além do desequilíbrio hormonal.
            Nos ratos machos que foram tratados com o milho transgênico apresentaram problemas hepáticas e até necrose do mesmo, nefropatias graves (problemas nos rins) e formação de tumores. 

MAS LOGO APÓS O ESTUDO...
            Uma série de acusações como:
- Fraudes
- Manipulações de dados
- Utilização de ratos de má procedência
Foram atribuídos ao pesquisador Gilles-Eric Séralini! Imaginem só... Como esse estudo não agregava nada a indústria alimentícia, rapidamente eles se reuniram para tentar retirar o artigo de circulação e fazer com que a revista se retratasse com relação a publicação!

E um dos comunicados emitidos criticando o estudo realizado pelo pesquisador Gilles-Eric Séralini foi esse abaixo do CIB (Centro de Informação de Biotecnologia - Portugal) na íntegra:






E de início olhem o que ocorreu com o artigo...




HOUVE RETRATAÇÃO!
Mas ao ler a retratação da revista...



(parte da retratação)




Eles não consideram que os dados do pesquisador estejam incorretos, mas por pressão das indústrias eles preferiram considerar como não conclusivo!
A que ponto chegamos!!!

Somos verdadeiras marionetes sendo controlados pelos industriais!!! Tratam os seres humanos como cobaias de laboratórios!!!


(imagens do estudo acima do Serallini, 2012)


E VOCÊS ACHAM QUE PARAM POR AQUI OS ESTUDOS? Esse estudo foi apenas o que mais causou repercussão no mundo, mas há outros que citarei agora... Vamos lá para os FATOS & EVIDÊNCIAS CIENTÍFICAS.
           
ALTERAÇÕES NO SISTEMA IMUNOLÓGICO  E ABSORÇÃO INTESTINAL
            No caso das plantas geneticamente modificado (proteínas Bt), que sintetizam seu próprio inseticida em todas suas células, a indústria afirma que NÃO há qualquer risco para a saúde! Afirmam também que a proteína que sofreu modificação genética é totalmente destruída durante a digestão humana, assim não apresentando nenhuma atividade biológica.
            Mas como há pesquisadores NÃO corrompidos e que lutam contra toda essa tirania das indústrias! Bernstein e colaboradores em 1999 realizou um estudo que observou reações imunológicas em trabalhadores  rurais  que  manipulam  esporos  de  Bacillus  thuringiensis (proteína Bt). Além disto, outro pesquisador Vázquez realizou 3 estudos no período de 1999 a 2000 em laboratórios com proteínas Bt nativas e observou  que  essas  proteínas  podem  desencadear  uma  reação imune ou favorecer respostas imunológicas a outras substâncias.      Já em relação a alegação da indústria de que conseguimos degradar durante a digestão a proteína Bt... Essa NÃO é a afirmação que encontramos ao pesquisar na literatura científica! O que os pesquisadores (Chowdury em 2003, Lutz em 2005, Paul em 2010 e Guimarães em 2010) encontraram na realidade é algo totalmente diferente, cujo partes significativas dessa proteína conseguem ultrapassar pela digestão gástrica (observou uma alta resistência em quebrar a proteína recombinante ao passar pela acidez gástrica) e intestinal em animais alimentados com milhos geneticamente modificados.
            Mas como sempre há aqueles que NÃO ACREDITAM que a indústria tenta esconder ou manipular dados, falando que não há estudos com seres humanos e que não podemos transpor esses dados para humanos! Porém há dados canadenses muito preocupantes e pertinentes que NÃO podemos deixar de expor! Os pesquisadores Aris e Leblanc em 2011 realizaram um dos raros estudos epidemiológicos buscou  a  presença  de  proteínas  Cry  no  sangue.  Ao analisarem sangue de 30 mulheres grávidas e 39 mulheres não grávidas, os pesquisadores encontraram a toxina Cry1Ab em 93% das mulheres grávidas, 80% dos seus fetos e em 69% das mulheres não grávidas. Assim demonstrando in vivo a passagem e absorção de proteínas Cry pelas  células  intestinais  obtidas  através  do  consumo  diário  de  alimentos transgênicos.

ALTERAÇÕES NO SISTEMA METABÓLICO E ENDÓCRINAS
            Com relação as alterações no sistema metabólico e endócrino há vários estudos subcrônicos com plantas tolerantes ao Roundup in vivo no qual foram usados com camundongos e ratos que mostram efeitos de toxicidade hepato-renal e alterações endócrinas.
            Vamos observar alguns achados científicos, realizados por Malatesta em 3 estudos realizados em 2002 e 2003 e Vecchio em 2004, com relação a soja transgênica (soja  RR). Os estudos foram longitudinais e observaram:
- Diminuição das enzimas digestivas pancreáticas, assim provocando alterações na digestão dos nutrientes. Causando assim problemas digestivos.
- Alterações da estrutura celular e da expressão gênica em vários tecidos/órgãos (rins e fígado principalmente) e o aumento da atividade metabólica do fígado. Assim alterando a curva farmacocinética (tempo de meia vida, concentração máxima, distribuição da substância e eliminação) de medicamentos e suplementos alimentares, assim, podendo potencializar ou diminuir a atuação dos mesmos no corpo humano.
- Alteração na estrutura e função dos testículos em ratos que consumiram a soja. Provocando muitos problemas de infertilidade masculina.
           
            Já observando quaisquer outros alimentos que sejam geneticamente modificados para serem tolerantes ao herbicida Roundup, podemos citar algumas alterações endócrinas no processo de intoxicação:
- Componentes do Roundup, mesmo em concentrações  residuais, apresentam atividade citotóxica contra tecidos chaves do organismo, como os rins, o fígado e o baço;
- Componentes  do  Roundup,  mesmo  em  concentrações  residuais, alteram a via metabólica da aromatase, envolvida na síntese dos estrógenos, e interferem com os receptores celulares a estrógenos e andrógenos.  Alteração na via metabólica da aromatase influencia indiretamente na conversão mais acelerada da testosterona em estradiol, assim reduzindo os níveis plasmáticos de testosterona;

- No caso do NK603, baixo teor de ácidos ferúlico e cafeico na planta geneticamente modificada, devido à alteração de uma via metabólica após transgenia, diminui seus papeis protetores anticancerígenos em mamíferos. 




Por isso, peço que sempre procurem um profissional nutricionista para acompanharem a sua alimentação!

Fiquem em alerta!

Abraços,

Valden Capistrano
Nutricionista

Curtam a minha página no FACEBOOKhttps://www.facebook.com/pages/VC-Consultoria-em-Nutri%C3%A7%C3%A3o-Esportiva/308779592522987

E podem me seguir no INSTAGRAM também: @valdencapistrano e @vclinicadenutricao


domingo, 8 de dezembro de 2013

VITAMINA C e altas doses, Linus Pauling já falava das necessidades!

Olá caros leitores,

Hoje venho falar sobre a Vitamina C...





Até hoje ainda muito se discute sobre tomar altas doses de vitamina C... E isso se iniciou quando Linus Pauling afirmou que 60mg de vitamina C só protegeria contra o escorbuto e não contra outros estresses oxidativos... E uma vez perguntaram ao próprio Linus Pauling por que ele só falava da tal Vitamina C e não das outras vitaminas e ele respondeu: "já me crucificam pela vitamina C, imagine o que vão dizer de mim se eu começar a falar das outras". Essa vitamina além de potente antioxidante, tem funções na formação óssea, da pele, dentes, formação de neurotransmissores, e ainda pode ajudar a evitar a arteriosclerose... E ai me fiz a mesma pergunta... 60 mg previnem e formam isso tudo? Fica a pergunta. 

Até na prevenção do câncer como contra os nitratos adicionados à carne que o conferem a cor vermelha, formando uma substância altamente cancerígena, as nitrosaminas, e é justamente a vitamina C que impede essa formação. Para vocês terem uma ideia a vitamina C é uma vitamina apenas para os homens, a cobaia e o macaco... Todos os outros seres são capazes de produzir sua PRÓPRIA vitamina C! Um cachorro de 40 kg em processo inflamatório forma quase 10g de ácido ascórbico! Será que é algum absurdo dar grandes doses de vitamina C Ao homem? Fica a pergunta! Saibam que só em inalar a fumaça de um cigarro é capaz de destruir 25 mg da vitamina C do nosso corpo! 

Mas vale a pena ressaltar e lembrar que não se pode apenas da vitamina C como único tratamento antioxidante, é preciso associa-la a outros antioxidantes para evitar que o ácido ascórbico se transforme em um pró oxidante, o ácido deidro-ascórbico, que pode criar problemas sérios como o câncer, ou cálculo renal por formação de oxalato! A vitamina C sempre é bem interessante associa-la à vitamina E que é capaz de reciclar a própria vitamina C, além a associação de vitamina B6 para evitar a formação de cálculos renais... Parece que o que Linus Pauling afirmava há mais de 40 anos tem suas verdades, vários estudos em Nutrição ortomolecular e longevidade também afirmam o mesmo... Fica à dica para refletirmos!

Abraços,

Valden Capistrano
Nutricionista

E podem me seguir no INSTAGRAM também: @valdencapistrano e @vclinicadenutricao


sexta-feira, 18 de outubro de 2013

OREO causa dependência similar à COCAÍNA!



Olá meus amigos leitores,

Acaba de sair um estudo nada agradável para os amantes de um dos biscoitos mais famosos do mundo!!!
OREO!!!
Isso mesmo...
Sempre comentei em meu consultório do vício que os carboidratos simples poderiam causar ao seu cérebro... E agora... Saiu o estudo!!! Fiquei muito feliz pela publicação do estudo, pois o mesmo pode embasar ainda mais as orientações que repassamos na consulta!!!
Vamos ao estudo!!!
Um estudo realizado pelo Curso de Psicologia da Connecticut College e idealizado pelo pesquisador Jamie Honohan...
Afirma que o tal biscoitinhos com cara de inocente é tão viciante quanto a cocaína e a morfina!!! Isso mesmo!!!
Segundo eles, a análise mostra que alimentos muito calóricos e ricos e açúcar, de modo geral, afetam o cérebro da mesma maneira que as drogas, o que explicaria o fato de uma pessoa não conseguir resistir a comer algo, mesmo sabendo que aquilo não é bom para sua saúde.
Eles afirmam que:
“Nós escolhemos o Oreo não apenas por ser o biscoito favorito dos americanos e altamente palatável para ratos (os animais utilizados no teste), mas também porque produtos como ele, que contêm altas quantidades de gordura e açúcar, são vendidos massivamente em comunidades com baixo status socioeconômico”, destaca Jamie Honohan, idealizador da pesquisa.

Outras análises do estudo:

O estudo verificou também que o biscoito estimulou mais neurônios que a cocaína e a morfina, segundo os professores. 
Consumidores e amantes da saúde!!!
Fiquem atentos!!!
Abraços,

Valden Capistrano
Nutricionista

E podem me seguir no INSTAGRAM também: @valdencapistrano e @vclinicadenutricao



segunda-feira, 12 de agosto de 2013

Será que o alimento INTEGRAL que estamos consumindo é realmente INTEGRAL!

Será que você sabe diferenciar o que é e o que não é integral?




Pois fique atento!!!
Nem tudo que você compra e está estampado no rótulo como INTEGRAL é realmente 100% integral!

Vamos lá tentar entender um pouco...

Não há nada específico ou ditando como deve ser um alimento integral, basta que tenha algum produto integral para ser rotulado como integral...
Mas pelo Ministério da Saúde... Um alimento para ser considerado integral ele deve manter a sua estrutura química inalterada e mantendo o mesmo valor nutricional...

Ou seja, quando compramos algum alimento integral olhem sempre o rótulo na parte onde se descreve os ingredientes...
Por exemplo: Pão Integral... Olhe nos ingredientes e procure por farinha integral... Se o primeiro nome que aparecer for farinha de trigo refinada e o segundo for farinha de trigo integral... Então esse produto contém mais farinha branca do que integral...
Na prática muitos fazem os produtos ditos integrais com farinha de trigo refinada e acrescenta sementes, ou cereais, ou fibras e as rotula como integral...
Mas essa prática das indústrias não torna de fato um alimento integral como ele deve ser e nem reduz o índice glicêmico desse alimento...

Consumidores cuidado...
Sempre olhem os ingredientes dos produtos que forem comprar.
E quando forem optar por um alimento integral, procure um que contenha 100% de farinha de trigo integral em sua composição.

Abraços,

Valden Capistrano
Nutricionista


E podem me seguir no INSTAGRAM também: @valdencapistrano



terça-feira, 23 de julho de 2013

HERBALIFE e o coitado do seu fígado!



Olá caros leitores e amigos...

Já faz algum tempo que não posto, mas como a vida do consultório está muito corrida, tendo que ir a congressos e por aí vai... Fiquei um pouco ausente.... Mas já estou de volta e trazendo mais um assunto bem polêmico!!! Assunto esse que há tempos já gostaria de ter colocado em pauta e não tive tempo de escrever, mas sempre que vou dá minhas aulas como professor de especialização "bato na tecla" com meus alunos e alerto dos perigos já COMPROVADOS CIENTIFICAMENTE que esse produto pode nos causar...

Não estou aqui para recriminar a compra, ou venda... Ou o sistema de negociação, ou os espaços de vida criados... E por aí vai... Acho até interessante os espaços de vida, o sistema de marketing... Bem tenho que dizer que eles fazem bem, pois caso contrário não estariam até hoje vendendo... Mas... com relação ao produto... hum... Esse ficou a desejar e a maltratar o ser humano em um dos órgão bem vulneráveis!!!!

VAMOS LÁ ver alguns fatos verdadeiramente científicos e publicados e disponível em numa das maiores redes de pesquisas do mundo que é o PUBMED...

Já ouviram falar em HEPATOTOXICIDADE?
É um algo que cause uma toxicidade ao fígado, gerando um dano onde células hepáticas ficam lesionadas ou até mortas... Isso não sendo tratado pode levar a um quadro de hepatite (inflamação hepática) e podendo evoluir a tal ponto que o indivíduo possa necessitar de um transplante hepático, ou na pior das hipóteses causar literalmente a falência hepática e levar ao óbito...

Pois bem, essa agressão ao fígado é o que mais se tem relatado nos arquivos do PUBMED com relação ao uso dos produtos da HERBALIFE...

Vejamos...

1a ARTIGO

2a ARTIGO

3a ARTIGO

5a ARTIGO

6a ARTIGO

7a ARTIGO

8a ARTIGO


Depois disso tudo eu vos pergunto!!!

SERÁ QUE REALMENTE VALE A PENA PERDER PESO E O SEU FÍGADO AO MESMO TEMPO?

MUDE SEUS HÁBITOS ALIMENTARES!
FAÇA EXERCÍCIOS FÍSICOS!

PROCURE UM NUTRICIONISTA E UM EDUCADOR FÍSICO E PARA DE SE ENGANAR!!!

Pois no dia em que você parar de tomar tudo isso e voltar para o seu hábito alimentar normal... Com certeza o seu peso volta e sabe o por que?

PORQUE NÃO HOUVE MUDANÇAS NO ESTILO DE VIDA...

Por hoje é só...

Abraços à todos!

Valden Capistrano
Nutricionista


E podem me seguir no INSTAGRAM também: @valdencapistrano





quarta-feira, 15 de maio de 2013

Whey Protein e Acne!!!

Olá leitores, como estão?
Leram o tema?
Isso mesmo... Ele pode sim causar isso...





Como o whey protein possui atividades insulinotropicas (aumenta a produção de insulina) e estimula a produção de IGF-1... O IGF-1 aumenta a conversão de testosterona em DHT (dihidrotestosterona) e juntamente com a insulina induz efeitos androgenicos que provocam umá maior formação de acnes... Entao cuidado ao sair utilizando whey, principalmente quem está em tratamento dermatológico para acnes... Fique atento!

Abraços à todos!


Valden Capistrano Junior
Nutricionista

FACEBOOK (Curtam, visitem e comentem à vontade):
 http://www.facebook.com/pages/VC-Consultoria-em-Nutri%C3%A7%C3%A3o/308779592522987

INSTAGRAM (Curtam e comentem à vontade): valdencapistrano